Excelência Operacional: A chave do sucesso!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
4
Tempo de leitura: 4 minutos

Todas as vezes que falamos em sucesso de uma empresa para não neófitos, com certeza vem à mente a expressão Excelência Operacional entretanto, é importante lembrar o que exatamente levou a esse sucesso e mais ainda, por que nem todas as empresas alcançam tal objetivo?

O que de fato, está na base do mesmo e que muitos por algum motivo qualquer se esquecem, é que foi necessário a estruturação da empresa, a divulgação sobre a mesma e os seus valores básicos tanto institucionais quanto operacionais.   Mandatório é, que a devida disseminação destes junto à toda empresa principalmente aos seus funcionários seja feita de forma clara e periodicamente avaliada e/ou questionada para garantir que todos, estejam aptos a realizar suas atividades bem determinadas tendo em mãos, o conjunto de conceitos e ferramentas necessárias alcançando seus objetivos e metas conforme acordados.

Apenas a tecnologia não é suficiente….

A “simples” implantação de conceitos e metodologias tais como Lean Six Sigma, Controle Estatístico de Processos, Just in Time, Kanban entre outros embora sejam efetivos vetores de sucesso, eles por si só não eliminam os desperdícios, não conformidades e falhas causadas pelo ser humano seja de forma consciente ou inconsciente.

Em um mercado de alta competição e extremamente conectado onde as decisões levam segundos, “um clique” pode levar uma organização à falência ou garantir o sucesso ultrapassando a concorrência de forma inquestionável e sem retorno.   Isso implica na melhor gestão de seus ativos e mitigação e/ou eliminação dos erros (desperdícios) operacionais em um tempo de resposta muito menor do que os outros players do mercado.

A chave para isso está na documentação formal dos processos-chave e/ou de suporte escritos de tal maneira que suas etapas e objetivos fiquem claros para todos os que forem utilizá-los no seu dia a dia.   Infelizmente, a experiência nos diz que os procedimentos operacionais, os planos de amostragem, os métodos de teste e inspeção, as especificações dos produtos e os protocolos de qualificação e validação ou não existem ou não têm alguma informação relevante e o mais trágico, aquilo que está escrito não reflete a prática ou nos casos extremos o procedimento “está na cabeça” de alguns profissionais.

A participação efetiva da alta direção nesse sentido é o que fortalece os fundamentos da qualidade e a eficiência dos métodos utilizados garantindo às organizações de sucesso o diferencial competitivo, o que significa a melhoria contínua de seus processos, o completo conhecimento de seus sistemas operativos e informacionais de tal forma, que todos tenham ciência dos pontos fortes e fracos da empresa.

 

Meta

 Metas-chave….

De forma geral, três metas-chave devem ser continuamente buscadas:

  • A qualidade do produto e do serviço oferecido
  • Manter a conformidade total
  • Reduzir os custos de qualidade para a satisfação dos seus clientes de tal forma que o chamado consumo lean ocorra de imediato e com competitividade

A Excelência Operacional obtida pelo atingimento dessas metas não ocorre por acaso, isso é resultado de uma abordagem a qual é traduzida pela eficácia de processos para o resultado final.  De forma simplista porém pragmática, isso somente será alcançado via o uso de uma documentação de referência a qual é amparada por uma metodologia.   Tomo aqui a liberdade de sugerir o Lean Six Sigma – (LSS) como o “método(?)” mais indicado, porém talvez aquele que têm o caminho mais árduo a ser seguido, por um motivo simples, envolve números e informações, o que nem sempre é parte do “DNA corporativo” a despeito do que é compartilhado nos quadros de Missão, Objetivo, Estratégia, etc, etc, ao longo das paredes de inúmeras salas de empresas que conhecemos por ai; ah um detalhe,LSS, exige o treinamento efetivo de todos, inclusive da Alta Gerência.

A integração de uma equipe, determinação e foco para o alcance das metas são pilares críticos para o alcance dos melhores resultados ao longo do Ciclo Operacional o qual deve ter como propósito final a satisfação dos envolvidos.  Em organizações onde as referências operacionais estão bem documentadas e devidamente comunicadas, utilizam esse ativo como catalisador do árduo processo de atingimento de metas.

Apoio da Alta Gerencia

 Apoio da Alta Gerência….

Embora todos os conceitos e/ou ferramentas sejam amplamente difundidos e por muitos alardeado como básicos e algo que “todos já sabem”, o treinamento efetivo, a documentação e formalização dos mesmos com procedimentos por escrito, bem como a sua aplicação e validação via auditorias recorrentes é algo que passa ser vital e tal como o devido apoio da cúpula gerencial infelizmente, é negligenciado sendo a causa principal do insucesso de muitos programas de transformação os quais têm como objetivo a Excelência Operacional.

 

 

 

About Otávio Monsanto de Paula

Profissional de Excelência Operacional e Business Intelligence! Blog: Excelência em Pauta.com.br
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
4

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
O passo a passo do Guia Completo para o DMAIC Recent comment authors
newest oldest most voted
trackback

[…] saber mais sobre Lean Six Sigma e Excelência Operacional? Fale com a gente e siga nossos posts no […]