Glossário Lean

Glossário Lean: para não se perder nas palavras

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
Tempo de leitura: 4 minutos

Com origem na Toyota, o Lean Manufacturing traz em sua filosofia muitos termos em japonês. Outros em inglês também foram incorporados, o que acabou engendrando um vocabulário muito específico. Para facilitar a compreensão dos conceitos que apresentamos aqui no Excelência em Pauta, organizamos um pequeno glossário Lean. A lista não pretende ser exaustiva, e sim um guia dos principais termos utilizados no dia a dia das empresas.

Veja essa série de 2 vídeos sobre as origens do Sistema Toyota de Produção – Lean Manufacturing.

Como usar o glossário Lean

Os profissionais que trabalham diretamente com a metodologia já conhecem profundamente seus conceitos. No entanto, ao trabalhar com os diversos públicos na implementação do Lean, é preciso elucidar cada termo. Se não for assim, corre-se o risco de simplificar ou mesmo distorcer sua compreensão. Ter um glossário Lean à mão é uma forma de facilitar o trabalho em equipe, economizando tempo e retrabalho.

Glossário Lean – japonês

5S

Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke. Essas cinco palavras compõem a ferramenta que precede o Lean, como etapas do processo de organização do local de trabalho. O método consiste em classificar e remover o que não é necessário; organizar o que ficou; limpar a área; criar padrões de manutenção; e monitorar para que tudo se mantenha organizado.

Andon

É a “lâmpada” que se acende quando alguma falha ou condição anormal é identificada, para que se descubra a causa-raiz. Faz parte do conceito Jidoka (veja a seguir). A ferramenta pode ser usada em diferentes contextos – o importante é que haja um sinal facilmente visualizável, de forma que a equipe saiba que precisa avaliar a situação.

Gemba

O gemba se refere ao lugar onde o trabalho é realizado. Dentro da filosofia Lean, o termo faz lembrar que os gestores precisam conhecer o chão de fábrica, a produção. Ou seja, as iniciativas do Lean só terão efetividade se forem estabelecidas em conexão direta com a vida prática.

Heijunka

Significa “nivelamento”. No Lean, essa lógica ajuda a reduzir o desnível na produção e a possibilidade de sobrecarga, mantendo o fluxo estável. Dessa maneira, previne as alterações na demanda e otimiza a capacidade produtiva. O nivelamento pode ser feito por volume (acompanhando a média de pedidos) e/ou por tipo (gerenciando o portfólio de produtos).

Hoshin Kanri

Como já dissemos aqui, Hoshin Kanri é um método de desdobramento da estratégia e das metas do negócio. Assim, objetiva a plena execução da estratégia da empresa, de forma que ela esteja presente em cada atividade do negócio. A principal ferramenta relacionada é a Hoshin Planning Matrix (X-Matrix), que reúne todos os fatores para o desdobramento da estratégia.

Jidoka

Parar o processo quando uma falha é encontrada (e resolvê-la): esse é o fundamento do Jidoka. Com o Just-in-Time, forma os pilares do Sistema Toyota de Produção. A ideia é que os equipamentos sejam automatizados para identificar condições anormais e interromper o trabalho. Assim o operador pode reconhecer a causa-raiz do defeito, impedindo que ele se reproduza. No inglês, a palavra é traduzida como “autonomation” – analogia com “automação”, mas incorporando a autonomia do operador, o aspecto humano.

Kaizen

A base filosófica da melhoria contínua, que se traduz na incorporação na cultura da empresa. O Kaizen se origina de dois ideogramas japoneses, cujo significado é “mudança para melhor”. Está baseado em duas crenças: “Tudo sempre pode ser melhorado”; e “Pequenas mudanças contínuas geram grandes melhorias no longo prazo”.

Kanban

A palavra Kanban significa “cartão visual”, e os cartões são o alicerce da metodologia. É um tipo de gestão à vista, com um fluxo preestabelecido de etapas, que marcam a evolução do processo. Assim, no modelo mais básico, as etapas se dividem em “a fazer”, “em execução” e “feito”. O número de cartões é limitado, e é aí que se dá a restrição: uma nova atividade só pode ser incluída se outras já tiverem evoluído no quadro. Inicialmente elaborado em papel, o Kanban já conta com diferentes versões digitais.

Kata

Kata (forma, em japonês) é um termo popularizado pelo Sistema Toyota de Produção como metodologia que cria padrões de comportamento para a melhoria contínua. O Kata de Melhoria tem o objetivo de fazer da melhoria contínua uma rotina sistemática. Por outro lado, o Kata de Coaching é direcionado às práticas do mentor, à rotina daquele que vai orientar os praticantes do Kata de Melhoria. Desse modo, o objetivo do Toyota Kata é estabelecer rotinas de ensino/aprendizagem, de forma a disseminar e preservar conhecimento e know-how.

Muda/Mura/Muri

Três conceitos-chave no Lean, referentes a práticas de desperdício que devem ser identificadas e eliminadas. Muda são atividades que podem ser eliminadas, porque não geram valor para o cliente. Por outro lado, mura é qualquer variação não prevista que produz irregularidade no processo e provoca desequilíbrio. Já Muri é sobrecarga no processo, atividades que geram um estresse desnecessário e acabam por levam a gargalos.

Glossário Lean – inglês

DMAIC

Define-Measure-Analyze-Improve-Control: definir, mensurar, analisar, incrementar e controlar. Principal estratégia de implementação do Lean Six Sigma, o DMAIC funciona de forma semelhante ao PDCA (veja a seguir). Como funciona em etapas, depende de engajamento da equipe, objetividade e pontualidade.

Just-in-Time

O “sistema puxado”, como é conhecido em português, pressupõe que o processo de produção deve ocorrer de acordo com a demanda dos clientes. O JIT é baseado na ampla eliminação de desperdícios, em diferentes aspectos: material, operacional e de recursos humanos. Na definição do termo, é ter-se o produto certo, na quantidade certa, no local certo, na hora certa. Ou seja: o produto solicitado pelo cliente será totalmente adequado a suas expectivas de qualidade, tempo e espaço.

KPI

Os Key Performance Indicators (KPIs), indicadores-chave de desempenho, são métricas para identificar e incentivar o progresso em direção a metas críticas do negócio. Dessa forma, permitem medir o sucesso das ações realizadas no escopo do Lean.

Milk Run

Baseado na lógica de entrega de leite (por isso o nome), é um método de logística para acelerar o fluxo de materiais. Funciona como um Kanban: na metáfora, o leiteiro vai de porta em porta e troca apenas as garrafas que estão vazias por cheias. Isso evita o acúmulo de estoque. Assim os entregadores podem seguir uma rota para fazer várias entregas, sem produzir acúmulos.

PDCA

Plan-Do-Check-Act: planejar, fazer, verificar e agir. O método não está restrito ao Lean, sendo já bem difundido no setor empresarial. As quatro etapas atuam para melhorar continuamente processos, produtos ou serviços e para resolver problemas. Possíveis soluções são testadas sistematicamente, os resultados são avaliados e implementados conforme seu desempenho.

Takt time

A palavra takt vem do alemão e significa relógio, compasso. Como o compasso que rege uma orquestra, o takt time é o tempo de produção necessário para atender à demanda, o ritmo do mercado. Ou seja, o tempo operacional líquido dividido pela necessidade do cliente.

Mantenha seu glossário Lean sempre por perto e garanta a excelência operacional em sua empresa. Qualquer dúvida, fale com a gente! Para saber mais, siga nossos posts no Facebook.

Edição: Svendla Chaves – jornalista

Conquiste a
Excelência Operacional

E-book:
Excelência Operacional

BAIXE AGORA

About Otávio Monsanto de Paula

Profissional de Excelência Operacional e Business Intelligence! Blog: Excelência em Pauta.com.br
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

If you agree to these terms, please click here.