Para que minha empresa precisa de um app?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
Tempo de leitura: 4 minutos

A onda do Pokémon Go varreu o planeta e está dando o que falar de Tóquio a São Paulo. Crianças e adultos se deslocam nas cidades em busca dos bichinhos que antes habitavam as telas de Nintendo e desenhos animados. Mas o que essa febre mundial tem a ver com o seu negócio?

A facilidade de acesso a celulares e tablets fez com que os números de acesso via dispositivos mobile crescessem vertiginosamente nos últimos anos. Segundo dados da ComScore, cerca de 9 milhões de internautas no Brasil acessavam a Internet exclusivamente de seus tablets e celulares em 2015 – e metade dos usuários consumiam conteúdos digitais em mais de um dispositivo. Esses números confirmam uma tendência já consolidada: as empresas precisam estar adaptadas a essa forma de relacionamento digital e, em boa parte dos casos, fazer dela sua principal ferramenta de comunicação com os consumidores.

Já pensou em ter sua marca ou loja sempre no bolso do cliente? Os aplicativos para dispositivos móveis, mais conhecidos como apps, são o melhor caminho para estar conectado com ele. Além de oferecer um serviço que gera engajamento pela facilidade (cresce também o número de transações comerciais via mobile), os aplicativos são um canal para conhecer preferências e hábitos do consumidor, pois permitem obter dados como localização, perfis em redes sociais e muito mais. O app do Pokémon Go, por exemplo, ao ser instalado em um celular, ganha acesso a localização, conteúdo de mensagens, câmera, IP e modelo do aparelho. Uma boa forcinha para os negócios saber tudo isso sobre seu consumidor, não?

Se o seu negócio é B2B

Bem, nesses casos o uso dos apps é menos óbvio, mas não menos útil. Além de oferecer dados transacionais, facilitando as relações de negócios, as soluções mobile podem agilizar e organizar o trabalho da indústria. Se por vezes a melhor opção é utilizar um app já existente, em outras, considerando o número de pessoas que vai utilizá-lo e as funcionalidades necessárias, pode valer criar o de sua própria empresa.

Os aplicativos móveis já são usados para gerenciar canteiros de obras e conectar equipamentos do setor energético. Proporcionam o contato entre equipes globais, agilizando atividades que antes dependiam de desktops. Para o economista-chefe e diretor executivo de Global Market Insight da GE, Marco Annunziata, os aplicativos estão revolucionando a automação na indústria, ao permitirem a conexão direta entre máquinas de grande porte, que geram imenso volume de dados, inflando o Big Data e automatizando processos complexos.

Você já pode controlar, pelo seu smartphone, de qualquer parte do planeta, a produção de uma fábrica ou mesmo comparar tendências para fechar um novo negócio. Aplicativos voltados a indústrias específicas são oferecidos para dispositivos com iOS, Android e sistemas operacionais móveis do Windows, bem como navegadores comuns. As empresas de automação e de softwares industriais têm desenvolvido inúmeras ferramentas do tipo, muitas vezes ofertadas gratuitamente. A tarefa então é encontrar aquela que mais se adapte às necessidades de seu negócio.

app2

Para o consumidor final

Nenhum aplicativo será útil para todos os consumidores, por isso é bom que você tenha em mente que seu app deve ser desenhado para seus clientes mais fiéis. Veja algumas dicas importantes para obter mais sucesso com a ferramenta:

Se você não está preparado para a tecnologia mobile, você está muito atrasado. Mesmo se o seu negócio não puder ser auxiliado por um aplicativo, sua presença web deve estar perfeitamente adaptada para acesso móvel.

Só invista em um app se as funcionalidades e os benefícios oferecidos por ele não puderem ser acessados em seu site mobile. Embora sejam campeões de engajamento, os aplicativos demandam esforço por parte do usuário (baixar, abrir, aprender a usar) e só serão aproveitados se oferecerem diferenciais.

– Os aplicativos têm sucesso entre os consumidores fiéis e possibilitam o acesso a dados de uso do aparelho do cliente, bem como permitem notificações diretas na telinha. Planeje seu app de forma que ele seja útil para o usuário e também para sua empresa.

– Não exija demais de seu cliente, ou ele pode desistir de instalar o aplicativo por essa razão. Priorize as informações que são mais importantes para seu negócio. A experiência do usuário deve ser a mais simples possível.

– O app deve facilitar a vida do cliente, e isso deve ser uma premissa em sua criação. Um bom app assegura dados transacionais e evita repetições, como inclusão de informações que já foram fornecidas pelo usuário anteriormente.

Promova a integração entre as mídias, conectando o app com redes sociais, e-mail e serviços do seu site – também use esse canais para divulgar o aplicativo. Crie vínculos entre ações online e offline, como ofertas e descontos para os usuários, bem como serviços oferecidos em primeira mão. Divulgue o app nas lojas e na rede de clientes mais fiéis.

– Utilize os sistemas de busca para anunciar seu app. Google e YouTube podem ser particularmente úteis para isso – desde que você elabore a estratégia correta para chegar aos potenciais usuários no momento em que buscam aquilo que você pode oferecer.

– Promova engajamento e atualização. A tendência é de que o usuário perca o interesse em pouco tempo – por isso é fundamental fazer updates e oferecer novos benefícios, que sejam percebidos como valor pelos consumidores.

Tem interesse em marketing digital, business inteligence e excelência operacional? Assine nossa newsletter e conheça nossos serviços.

Edição – Svendla Chaves – Jornalista

About Otávio Monsanto de Paula

Profissional de Excelência Operacional e Business Intelligence! Blog: Excelência em Pauta.com.br
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Deixe um comentário

avatar