foodtech

Consumidor 4.0 e digitalização: food service e foodtech

Vimos uma grande movimentação no mercado de bares e restaurantes com a retomada das atividades em São Paulo. Os estabelecimentos, sufocados pela falta de receita, tiveram que reinventar o processo de atendimento ao cliente, incluindo na sua grande maioria, as plataformas de delivery e take-out. Uma saída para se manterem “vivos” e de preparação para o retorno das atividades: é o surgimento das soluções foodtech.

O primeiro trimestre 2020 projetava um crescimento médio de 20% na receita comparado com mesmo período de 2019 e uma tendência de prosperidade para este ano. Com a pandemia, essa tendência foi frustrada e o segmento de bares e restaurantes em São Paulo amargou uma perda média no último trimestre de 85%. 

Com o dinamismo dos empreendedores e gestores, criou-se a tendência não só de delivery e take-outs. Agora a experiência também é levada em casa, onde o chef replica a experiência ao vivo ou com um kit DIY (do it yourself) como meio de sobrevivência. Tudo isso acelerou a mudança de comportamento dos consumidores. Além disso, novas oportunidades de melhoria do atendimento surgiram com as soluções foodtech.

Essas soluções vão desde uma simples automação do ponto de venda, onde são registradas as vendas, até soluções mais estruturadas (omnichannel), que integram o PDV do estabelecimento, com os concierges digitais e com os meios de pagamentos.

Novas soluções

Neste momento de retomada do mercado, os cardápios que antes ficavam no estabelecimento agora passaram à mão do consumidor. Conhecidos como cardápios on-line ou digitais, são acessados através de QRcode nas mesas, para visualização na web. Isso, porém, é só começo, uma vez que o consumidor quer mais!

Uma nova solução, a do concierge digital, a grande interface do consumidor com os PDVs dos estabelecimentos e com os meios de pagamentos.

foodtech

O consumidor já experimenta a sensação de ter o controle e gestão de suas demandas na sua mão, com os aplicativos de transporte, delivery. Agora chegou a hora do empoderamento e transparência. O cliente é o centro do negócio, a nova tendência para segmento de food service e a grande alavancagem das foodtech.

Foodtech e vantagens

1)   Para os clientes – os concierges digitais, por meio de inteligência artificial, reconhecem as características do consumidor e sugerem recomendações de consumo. Além disso, realizam promoções, proporcionam um atendimento mais personalizado e liberdade de escolha na forma de pagamento. Promovem também a fidelização, tudo dentro das regras da lei de proteção de dados (LGPD).

2)   Para os estabelecimentos – melhora da qualidade de atendimento, com um garçom digital ampliando a transparência e serviço. Maior intimidade com cliente para compreender suas demandas e características, atendimento personalizado proporcionando aumento de receita.

3)   Para os meios de pagamentos – a oportunidade de entregar um serviço de maior valor agregado.

4)   Para a indústria – a oportunidade de uma base de informações para conhecer melhor o comportamento de consumo e suas demandas.

Em análise a todo este movimento, podemos observar que uma crise do tamanho que vivemos trouxe e traz grandes oportunidades ao consumidor 4.0, mais exigente e digitalizado, que quer cada vez mais. Agora, para o mercado é aproveitar esta onda, quebrar os paradigmas e entregar um serviço mais personalizado e de alto valor agregado.

Foto do perfil de José Luiz Fleury


José Luiz Fleury
Especialista em estratégia de transformação de negócios
Linkedin: https://www.linkedin.com/in/joseluizfleury/

Conquiste a
Excelência Operacional

E-book:
Excelência Operacional

BAIXE AGORA